Quem eu sou

Minha foto
Patos, Paraíba, Brazil
A Juventude Missionária se dá a conhecer como um grupo voluntário com uma proposta de evangelização a serviço da Igreja Católica. Não é um movimento nem uma pastoral; é um grupo de jovens missionários ligados à POM (Pontifícias Obras Missionárias). Nosso objetivo principal é unir-nos ao mandado de Jesus Cristo: "Ide pelo mundo e pregai o evangelho!" (Mc 16, 15). Nosso trabalho se realiza, basicamente, através da organização de Missões de evangelização rurais e urbanas e outras atividades de formação, defesa da fé e promoção das devoções e tradições populares. A JM busca despertar na juventude de hoje o desejo e a consciência da necessidade de ser um orientador aos irmãos na fé, de ser transmissor da mensagem de Cristo, de fundamentar sua fé e sua confiança na doutrina da Igreja e de ser um jovem reflexivo, com rica vida de oração. Trata-se de uma grande oportunidade para jovens que desejam fazer algo a mais pela Igreja e trabalhar a serviço dos mais necessitados. Jovens que queiram vivenciar este carisma devem ter idade entre 15 e 30.

terça-feira, 3 de outubro de 2017

OS HÁBITOS QUE NOS AFASTAM DA FONTE


"Tome cuidado com o vazio de uma vida ocupada demais." - Socrátes 

Sabe aquela sensação que o tempo está cada vez mais curto, que o dia está aparentando ter menos de 24 horas, que aquela tarefa bacana que prometi para mim mesmo realizar, terá que ser mais uma vez cancelada por falta de tempo, é assim que tem sido os nossos dias na sociedade moderna.

É impressionante o quanto as nossas agendas estão sempre cheias de compromissos e tarefas diárias, quando chegamos ao final do dia a sensação é que estamos completamente esgotados. Não temos mais tempo para respirar direito, brincar com os filhos, ficar no ócio criativo, ler um bom livro tranquilamente, viver o lazer, sair com os amigos, olhar para as estrelas.

Estamos criando pesados fardos e atando aos nossos pescoços, são atividades demasiadas e ininterruptas, mal termina uma, já iniciamos outras, e parece até que os dias são iguais, nada muda, um "eterno retorno". Ao final do dia, quando vamos repousar, a sensação é que tiramos um peso enorme das costas, e que o tempo de descanso nunca é suficiente. Comprometemos a nossa saúde física e mental  nessa correria frenética, e muitas vezes apenas na ânsia de conquistas materiais, esquecemos a famosa advertência: "Cuidado para que o ter não te tenha." - Millôr Fernandes. 

Na vida pastoral e do serviço na Igreja não tem sido diferente. São inúmeros compromissos e atividades para realizar, também ficamos esgotados naquilo que nos deveria dar alegria e descanso, assim, isso também tem nos tornado estressados e angustiados. Quando termina uma atividade a gente em vez de ficar feliz e dizer "amém, que bom que deu tudo certo!", dizemos suspirando de alivio: "amém que acabou...." 

Logo, tudo isso tem nos afastado da fonte, ou seja, de estar aos pés de Jesus, a exemplo de Marta que foi absorvida pelos afazeres, perdendo a oportunidade de estar aos pés de Jesus, como fez sua irmã Maria, que "escolheu a melhor parte." - Lucas 10, 42. Sendo assim, é preciso repensar os nossos hábitos, mudar o que nos tira da rota principal, sabedores que não é tarefa fácil:  "A gente não se liberta de um hábito atirando-o pela janela: é preciso fazê-lo descer a escada, degrau por degrau." - Mark Twain.

Por conseguinte, o primeiro passo rumo ao equilíbrio é lembrar o que disse Jesus: "Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei." - Mateus 11, 28. Ir até Jesus e escolher a melhor parte, não viver para trabalhar, mas trabalhar para viver. Na fé. 

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

JUVENTUDE MISSIONÁRIA REALIZA INTERCÂMBIO

A Missão é feita: com os pés dos que partem; com os joelhos dos que rezam e com as mãos dos que ajudam.

A Juventude Missionária (JM) da Diocese de Cajazeiras (PB), realizou nos dias 22 a 24 de setembro de 2017, o 4° intercâmbio Diocesano da Juventude Missionária, seguindo o tema do último Congresso Missionário Nacional, qual seja: "A alegria do Evangelho para uma Igreja em saída." O local escolhido para a realização foi a cidade de São João do Rio do Peixe (PB), e contou com a presença de jovens da Diocese de Cajazeiras e da Diocese de Patos (PB).

O intercâmbio teve início na noite de sexta (22/09) com os jovens sendo convidados para uma reflexão sobre a missão através de um pequeno lucernário, realizado na Igreja matriz Nossa Senhora do Rosário. No sábado (23/09), os jovens missionários participaram de um momento formativo conduzido pelo Diácono Anchieta, que reforçou pontos pertinentes e fundamentais para quem está disposto a tomar o caminho da missão, que são: "O encontro, a escuta, o seguimento e a missão concreta." Ainda no sábado, houve o gesto concreto de visitar o abrigo dos idosos da cidade, um gesto missionário de carinho e amor, um encontro entre as gerações. Ao final do dia, os jovens se confraternizaram na noite cultural, em clima junino. 

No domingo (24/09) foi um dia mais que especial, os jovens missionários zarparam com sua barca e suas redes rumo ao distrito de Gravatá, junto com o grupo de jovens da comunidade promoveram inúmeras visitas missionárias às famílias, mesmo sob um forte calor, típico do sertão nordestino, os jovens partiram com alegria e entusiasmo para partilhar a vida, a esperança e o amor de Cristo. As famílias da comunidade retribuíram aos jovens com bastante hospitalidade, acolhida e fraternidade. Ainda no domingo, após as visitas missionárias, aconteceu um momento de dinâmica e convivência, com apresentação testemunho e peças, uma adoração ao Santíssimo Sacramento, os jovens foram conduzidos a refletir "Em qual tesouro depositamos o nosso coração?"


O final do intercâmbio foi marcada pela santa missa, os jovens se despediram com a certeza de que doar a vida em missão é mais que um privilégio, é uma dádiva de Deus, pois, Deus teve um único filho e fez dele um missionário. Segundo David, assessor da JM na Diocese de Cajazeiras:"Chegou ao fim mais um Intercâmbio Diocesano da Juventude Missionária. Foram dias de orações, escutas e fraternidade, e claro, de muitos aprendizados. Foi bastante corrido, mas valeu a pena cada momento vivido e partilhado. O encontro terminou, mas a missão continua. O 4° terminou e o 5° já bate em nossas portas!! Que a exemplo da Virgem Maria, Rainha das Missões, possamos entregar toda a nossa vida à Deus e fazer valer a pena as palavras de São Paulo proclamadas na Liturgia de ontem: para mim o viver é Cristo."















terça-feira, 15 de agosto de 2017

15 DE AGOSTO - JM DA PARÓQUIA DE FÁTIMA COMEMORA 7 ANOS DE IMPLANTAÇÃO DO GRUPO


7 anos de muito serviço e missão, como é bom olhar para atrás e ver que a JM pôde percorrer um longo percusso. Como diz a canção: "Não é sobre chegar ao topo do mundo e saber que venceu, é sobre escalar e saber que o caminho te fortaleceu."

Os grupos missionários não são os mais importantes da Igreja, são iguais a qualquer outro, porém, são os grupos com as atividades mais urgentes, pois, como disse o Papa Francisco: "Não é a Igreja que faz missão, mas a missão que faz a Igreja." A missão continua sendo a resposta que a Igreja precisa dar ao mundo, ir ao encontro das pessoas, pois, continua o Papa: "Eu prefiro uma Igreja acidentada, ferida e enlameada, por ter saído pelas estradas e periferias, do que uma Igreja enferma pelo fechamento e a comodidade de ter se agarrado as próprias seguranças."

Há sete anos atrás, um pequeno grupo de jovens eram chamados a inaugurar uma nova pescaria, a pescaria de Cristo: "Ide ao largo e lançai as vossas redes ao mar" e "De agora em diante vocês serão chamados pescadores de homens." Não pescar em aquários, mas pescar no grande mar que é o mundo, cheio de perigos e incertezas, mas sabedores que é Cristo quem comanda o barco e com ele não naufragamos. 

A Juventude Missionária nos ensina, como disse o Padre Vieira que "existem semeadores que saem a semear, e outros que semeia aonde ficam, os primeiros serão julgados pelos seus passos, e os segundos pelos seus paços, os primeiros pelo que semearam e percorreram, e os segundos apenas pelo que semearam." Logo, o missionário tem dois grandes feitos perante Deus: o caminhar e os frutos da missão. 

Deus teve um único filho e fez dele um missionário, que possamos continuar nessa grande jornada de amor e fraternidade. "Missão é partir, caminhar, deixar tudo e sair de si, é sobretudo abrir-se aos outros como irmãos."

TESTEMUNHO MISSIONÁRIO:
DO INTEGRANTE ALLAN (QUE ESTÁ DESDE O INÍCIO DO GRUPO):

Bom dia! A exatos 7 anos estamos aqui, continuando firmes e fortes nesse propósito de evangelização da juventude, jovens evangelizando jovens, eis nossa missão, levar a palavra a todos no mundo inteiro. Que Deus continue nos abençoando nessa caminhada. Parabéns JM! 

Jovens Missionários Sempre Solidários!